sexta-feira, 26 de junho de 2009

Nada de confusões sff: este post não se refere a José Sócrates!

“Tendes ouvido dizer: olho por olho e dente por dente. Eu porém digo-vos que não resistais ao que vos fizer mal; mas se alguém te ferir na tua face direita, oferece-lhe também a outra.”

Na célebre conferência intitulada “Porque não sou Cristão”, o filósofo inglês Bertrand Russell, depois de citar essas palavras de Cristo (Evangelho Segundo São Mateus, V, 38 e 39), duvidou que esse seja “um princípio a que os cristãos se submetam verdadeiramente”. E, à laia de confirmação, acrescentou:

“Não duvido que o actual [1927] Primeiro-Ministro [Stanley Baldwin], por exemplo, seja um cristão muito sincero, mas não aconselho nenhum dos presentes a dar-lhe uma bofetada. Estou certo que descobriria que ele apenas atribui a esse texto um significado simbólico.”

Bertrand Russell, Porque não sou Cristão, Brasília Editora, Porto, s/d, pág. 23.

3 comentários:

Joao disse...

O próprio Jesus cometeu actos que mostram que este principio é para ser apenas levado à letra.

Quando os vendilhões invadiram a igreja não ofereceu as outras.

Quando a figueira (era uma figueira não era?) não lhe deu um figo, secou-a no instante.

Parece que a unica circunstancia em que ofreceu metaforicamente a outra face foi quando foi apanhado por guardas romanos com uma duzia de amigos no jardim.

Ainda assim, esta forma radical de pacifismo encontrou em Gandhi um verdadeiro maestro, que no entanto não teve escrupulos com a consequencia das suas diretivas nos seus semelhantes (milhares de indianos foram espancados sem resistir fisicamente).

Os Hamish tem fama de ser um povo que vive realemte
sobre este principio. Vivem como se o tempo não tivesse passado por eles e a sua passividade é omnipresente na sua filosofia de vida.

No entanto eu admiro os hamish. Não é so pelo pacifismo ( que tambem não chega a certos tipos de tolerancia). É porque de todos os que negam a ciencia são os unicos, repito, os unicos, que têm a decencia de prescindir dela.

(desculpem o plot tuist mas não resisti)

Em resumo, bom post. Fez-me divagar.

Joao disse...

E desculpem os erros. Sim eu dou por isso, mas não tenho tempo para corrigir.

Carlos Pires disse...

João:

Outro episódio complicado em que Jesus foi - supostamente - protagonista, foi quando fez com que uns "espíritos" malignos saíssem de uma pessoa possessa e entrassem nuns porcos que depois se precipitaram por uma ribanceira abaixo. Não percebo nada do combate aos "espíritos", mas não posso deixar de ter pena dos pobres animais.

Quanto aos Amish: são sem dúvida mais coerentes que as igrejas evangélicas que dizem que o mundo só tem 6000 anos e andam de automóvel (consumindo combustível feito com petróleo que não existiria ainda se o mundo tivesse apenas 6000 anos); todavia, não são tão exemplares como podem parecer.
daqui a uns dias colocarei 1 post no Caderno de Sociologia falando dos Amish e da pressão social.