segunda-feira, 18 de Agosto de 2014

Horário zero

SALA

Fui hoje informado que no próximo ano letivo terei horário zero. Terei, portanto, que concorrer. Pelo que ouvi dizer, numa escola secundária de Faro há dois horários – sem filosofia, apenas com disciplinas dos cursos profissionais e outros similares. Vivo em Faro, mas se numa das cidade próximas existisse um horário com filosofia tentaria ir para lá. Infelizmente parece que não há.

Sou professor há vinte e dois anos. Dez deles, sendo os últimos nove consecutivos, na Escola Secundária de Pinheiro e Rosa. Tive Muito Bom numa avaliação e Excelente na outra. Nos anos que levei alunos a exame a média destes foi sempre superior à média nacional e melhor que a maioria das outras disciplinas da escola. Além do Dúvida Metódica, criei um blogue de Sociologia que está quase a chegar ao milhão de visitas e um blogue para usar nas aulas de Área de Integração, do Ensino Profissional. Já ouvi – e li – muitas pessoas diferentes dizerem que não faço um mau trabalho. Mas nada disso conta, pois na minha escola há colegas com mais tempo de serviço e eu sou o último da lista.

Descobri que a possibilidade de ter horário zero era elevada há semanas atrás, mas tinha ainda uma esperança remota e irrealista, para não dizer estúpida, de que isso não sucedesse. Quando há minutos li a frase “não tem horário para o ano letivo 2014/2015, pelo que tem de concorrer ao Destacamento por Ausência da Componente Letiva” lembrei-me do final do romance O Processo de Franz Kafka quando K., mortalmente apunhalado no coração, murmura “Como um cão!”. E senti-me apunhalado no coração. Mas não mortalmente. Mas não mortalmente.

domingo, 10 de Agosto de 2014

Música de verão

Louise Farrenc

Trio para piano, clarinete e violoncelo da compositora francesa Louise Farrenc (1804-1875).

Música descoberta no sempre recomendável e admirável blogue O Livro de Areia.

sexta-feira, 8 de Agosto de 2014

Que país é este?

portugal bateu no fundo

A pergunta não é filosófica, mas vem a propósito de várias coisas diferentes que preenchem a atualidade em detrimento do verão e das férias.

segunda-feira, 21 de Julho de 2014

Porque é que esta terra havia de ser minha?

This Land is mine Nina Paley

Proudhon, um filósofo francês do século XIX, dizia que “a propriedade é um roubo” e condenava a propriedade privada. Essas ideias são, naturalmente, discutíveis, mas é importante – por razões diferentes – questionar o que confere a alguém o direito de dizer “este pedaço do nosso planeta é meu”.

As desigualdades sociais e económicas existentes em quase todas as sociedades são uma dessas razões. Outra razão – como mostra este genial vídeo - são as guerras e outros conflitos que existem um pouco por todo o lado – da Palestina à Ucrânia, passado por África.

This Land is Mine, de Nina Paley.

Se quiser ver This Land Is Mine legendado em português clique aqui.

domingo, 20 de Julho de 2014

NEBRASKA: ao ar livre em Faro

cena-de-nebraska-de-alexander-payne-1389306080147_750x500

Nebraska não é um filme para mostrar nas aulas de Filosofia a alunos do 10º ou do 11º ano, embora aborde questões filosóficas: Será moralmente correto mentir a uma pessoa para que ela se sinta feliz? O que faz com que a vida de alguém tenha sentido? Quais são as consequências de viver de uma forma acrítica e sem ter quaisquer interesses de natureza intelectual?

É filme tocante, com momentos hilariantes, um argumento excelente e uma fotografia fabulosa.

Acredito que seja entediante para alguns adolescentes (a maioria, admito) que vivem prisioneiros dos telemóveis, submetidos permanentemente a uma grande quantidade de imagens e informação e para quem, para além do imediato e do seu "eu", nada mais interessa.

Mas quem quiser pensar sobre questões essenciais, faça um favor a si próprio: veja este grande filme

Mais cinema ao ar livre, em Faro...

segunda-feira, 14 de Julho de 2014

Exame nacional de Filosofia da 2ª Fase: recursos úteis ao estudo

No próximo dia 17 de Julho (quinta às 9.30) realizar-se-á o exame nacional de Filosofia da 2ª Fase.

Para os alunos que o voltam a fazer - como melhoria ou porque reprovaram - disponibilizamos alguns links com materiais didáticos (textos de apoio, testes, fichas, vídeos, exames nacionais...) úteis ao estudo:

Apoio ao estudo no Dúvida Metódica (10º ano)

Apoio ao estudo no Dúvida Metódica (11º ano)

Exames de Filosofia 2012/2013 e lista de verificação das aprendizagens

Exame nacional de Filosofia 2014: enunciado e critérios de correção

Uma repórter da ESPR na sessão nacional do Parlamento dos jovens 2014

A escola Secundária Pinheiro e Rosa esteve presente, tal como em 2013, na sessão nacional do “Parlamento dos jovens" 2014.

A aluna Marta Liber (do 11º B), na qualidade de jornalista, fez a reportagem que se segue. O texto foi revisto pela professora Maria da Conceição Santos, que acompanhou os alunos e foi uma das coordenadoras do projeto.

Reportagem Parlamento Dos Jovens 2014 by SaraRaposo

sábado, 12 de Julho de 2014

Os resultados do exame de Filosofia nas turmas de Humanidades da ESPR

Na escola secundária Pinheiro e Rosa fizeram exame nacional de Filosofia 49 alunos como internos e 9 como externos ou autopropostos (58 no total). Foi a escola secundária do Algarve com o maior número de alunos internos a fazer este exame, que é opcional. É um facto significativo, cujas causas não vou abordar aqui. Julgo, no entanto, que uma delas poderá ter a ver com o tipo de ensino praticado nas aulas.

Dos alunos internos, 29 eram das minhas duas turmas de Humanidades (11º D e E), os restantes eram alunos de turmas de ciências e não foram meus alunos. A média obtida no exame pelos meus alunos internos foi de 11.03. A diferença entre a média das classificações internas que atribuí (13,41) e a média da classificação interna obtida no exame pelos alunos internos foi de 2,38 valores. A média total das classificações dos alunos internos da escola foi de 10.92.

Em Portugal, fizeram exame nacional de Filosofia 11.513 alunos (internos e externos) e a média foi 9,7 (ver AQUI). Os 7.956 alunos internos (aqueles para quem a classificação do exame tem o peso de 30% na classificação final da disciplina) obtiveram a média de 10.3 (ver AQUI).

Estes dados objetivos permitem afirmar, comparativamente, que os resultados dos meus alunos foram positivos, ou melhor, razoáveis.

Todavia, não deixam de estar um pouco aquém do que deveriam ser, pois alguns alunos (em particular os que foram a exame com 10) desceram e entre estes vários não frequentaram sequer as aulas de apoio que a escola disponibilizou. Bem sei que as classificações internas de 10 englobam aspetos não cognitivos - como o comportamento e as atitudes - e outros cognitivos como a oralidade que não são avaliados numa prova escrita. Bem sei que os alunos de Humanidades, ao contrário dos alunos dos cursos de ciências do 11º ano, não realizaram este ano nenhum teste intermédio e, por isso, a exigência e a pressão a que foram submetidos, em termos de avaliação externa, foi menor. Há anos que constato (como referi AQUI) que esta menor exigência tem um efeito negativo notório ao nível do empenhamento, dos hábitos de estudo e da capacidade de trabalho.

Também é verdade que tive, nas duas turmas, vários alunos que mantiveram ou subiram as classificações (as duas alunas com as classificações internas mais elevadas, 18 valores, não desceram, tal como vários outros). Ainda assim, os resultados, apesar de satisfatórios, não deixem de ser dececionantes, no caso de alguns alunos (sobretudo se comparados com os obtidos pelos meus alunos de ciências do ano passado). Podiam, de facto, ter feito melhor.

E ainda podem fazê-lo, na 2ª Fase!

Resultados dos exames nacionais secundário de 2014, 1ª Fase

20140711 Mec Resultados Exames 1 Fase by SaraRaposo

Informação tirada do portal do governo, ver AQUI.

Distribuição das classificações dos exames do secundário por tipo de aluno (interno ou externo)

Distribuição de classificações por disciplina