terça-feira, 22 de Abril de 2014

Moral e legal não são sinónimos

A articulação entre Ética e Direito

BALANCA da justiça

O Direito é o sistema de leis ou normas jurídicas de um país. Inclui também a indicação das sanções aplicáveis a quem não cumprir essas leis. O Estado elabora essas leis (poder legislativo), exige o seu cumprimento e pune quem não as cumpre (poder judicial). A palavra “Direito” é ainda usada para designar o estudo desse sistema de leis e sanções; assim, alguém que queira ser advogado ou juiz tem de concluir o curso de Direito.1

Muitas normas jurídicas têm também um caráter ético, são simultaneamente regras jurídicas e regras éticas (ou deveres morais): não roubar, não matar, não prestar falso testemunho, etc. Tanto as regras jurídicas como as regras éticas dizem respeito ao comportamento, ao que devemos e não devemos fazer.

Contudo, a Ética e o Direito são diferentes. Moral/ético e legal não são palavras sinónimas. Por exemplo, não se responde à pergunta “a eutanásia é ou não moralmente correta?” se nos limitarmos a indicar os países cuja legislação permite a eutanásia e os países cuja legislação a proíbe.

Os filósofos discordam acerca do modo como a Ética o Direito se devem relacionar, nomeadamente se o Direito se deve basear na Ética (jusnaturalismo) ou se deve ser dela independente (juspositivismo).2 Mas, independentemente dessa polémica, podemos indicar algumas diferenças a Ética e o Direito:

- Podem existir regras jurídicas imorais (por exemplo, na Alemanha nazi denunciar judeus era uma obrigação legal).

- Podem existir deveres morais ilegais (por exemplo, antes da abolição da escravatura nos EUA era ilegal ajudar escravos fugitivos).

- Há muitas regras jurídicas que são moralmente neutras, que não têm impacto ético (por exemplo, regras sobre os prazos eleitorais, regras sobre a relação entre as várias instituições políticas, etc.).

- Há muitas deveres morais que não têm expressão jurídica e que não fazem parte do direito (por exemplo, ser desleal com os amigos é imoral mas não ilegal).

Mas como distinguir o que deve e não deve ter expressão jurídica? Qual será a relação apropriada entre moralidade e legalidade? Em que medida o Estado deverá proibir (isto é, tornar ilegal) atos ou práticas considerados moralmente condenáveis? 3

Um critério possível para fazer essa distinção é o chamado Princípio do Dano defendido por Stuart Mill.

Bibliografia:

1 Aires Almeida, Célia Teixeira, Desidério Murcho, 50 Lições de Filosofia – 10º ano, Didática Editora, pág. 91.

2 Aires Almeida, Célia Teixeira, Desidério Murcho, 50 Lições de Filosofia – 10º ano, Didática Editora, pp. 91-92.

3 António Lopes, Pedro Galvão, Paula Mateus, Razões de Ser – 10º ano, Porto Editora, 2013, pág. 150.

segunda-feira, 21 de Abril de 2014

Exame nacional de Filosofia 2014: informações

pensamentos












Um “recado” para os alunos que estão a pensar fazer o exame nacional de Filosofia: ponderem bem as razões da vossa escolha. Esta dependerá, sobretudo, dos cursos que pretendem e da formação mais adequada a essa área de estudos, pelo que devem informar-se sobre isso previamente. Caso decidam mesmo fazer este exame, empenhem-se - a sério - no estudo, dentro e fora das aulas. E pensem, tenham espírito crítico - não caiam na asneira de achar que estudar é decorar coisas que não compreendem bem. Eis o segredo aberto – escancarado, até - do sucesso.
Para os alunos que estão a pensar candidatar-se ao ensino superior e não sabem quais são as provas de acesso dos cursos que pretendem, aconselho a leitura da legislação que se encontra no post seguinte deste blogue:
Cursos e provas de ingresso na universidade

O futuro é nosso? Será mesmo?

 

sexta-feira, 18 de Abril de 2014

sábado, 12 de Abril de 2014

Imagem filosófica

modus tollens

Proposta de trabalho:

A ideia é os alunos criarem uma imagem (fotografia, desenho, etc.) capaz de ilustrar um problema filosófico e escreverem uma pequena legenda explicativa.

Não se trata de um trabalho difícil, mas, como requer competências que não são filosóficas, não é obrigatório, mas sim opcional. Contudo, é de salientar que a imagem tem de ser criada pelos alunos (e não apenas encontrada) e que a legenda deve ser clara e bem escrita.

A classificação será ponderada no âmbito dos “Mini testes e outros trabalhos” (15%), caso melhore – como é provável Sorriso - a média dos alunos.

O trabalho será exposto na escola no Dia do Pinhas (29 de Abril), quando recebermos na escola alunos do 1º Ciclo, do 9º e do 8º ano.

Para saber ciência

 

"Saber ciência" * é um excelente site de divulgação da ciência – para professores e alunos – com artigos, recursos didáticos e outros materiais para aprender e ensinar ciência. Vale mesmo a pena visitar.

Para perceberem que a visita a este sítio é mesmo proveitosa, transcrevo parte de um artigo e links de outros.

Estas imagens mostram todas um aspeto particular da ciência, mas uma visão completa da ciência é muito mais do que qualquer exemplo em particular.


"O que fez a ciência por si recentemente?

Muito. Se você acha que a ciência não é muito importante para você, pense novamente. A ciência afeta-nos a todos, todos os dias do ano, desde o momento em que acordamos, durante todo o dia, e durante toda a noite. O seu despertador digital, a previsão do tempo, o asfalto onde você guia, o autocarro em que anda, a sua decisão de comer uma batata assada em vez de batatas fritas, o telemóvel, os antibióticos que tratam a sua garganta, a água limpa que sai da sua torneira, e a luz que você desliga no final do dia, foram todos trazidos até si graças à ciência. O mundo moderno não seria moderno de todo, sem a compreensão e a tecnologia possibilitadas pela ciência."

Pode continuar a ler AQUI.

* O site Saber Ciência é uma tradução de um projeto do Museu de Paleontologia da Universidade da Califórnia e é o resultado da colaboração entre um grupo diversificado de cientistas, professores, designers, e profissionais da internet.
A tradução do site Understanding Science para português é um projeto da
APEEGIL e do Centro de Ciências e Tecnologias Nucleares do Instituto Superior Técnico. A tradução segue o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa de 1990. Investigador principal e coordenador do projeto: Nuno P. Barradas. Assistente de projeto: Luís Leal. Equipa de tradução: Ana Canaveira Gouveia Taborda, Anja Wartig, António Nazareth Falcão, Catarina Ramos, Joana Lancastre, José Mateus Leal, Luís Leal, Maria José Ribeiro Gomes, Norberto Catarino, Nuno P. Barradas, Rui P. Barradas. Equipa pedagógica: Marília Peres e Maria do Céu Mendonça.  

Saber + ciência: indicações para os trabalhos

Para os alunos do 11º D e E com um pedido de desculpas pelo atraso!

A - Documentários a visionar:

B - Textos (além dos do manual) de leitura obrigatória:

Algumas diferenças entre o senso comum e a ciência

Como é que uma criança decide tornar-se cientista?

A ciência tem como objetivo explicar o mundo natural

A ciência trabalha com ideias testáveis

A ciência baseia-se em evidências

A ciência envolve a comunidade científica

Os participantes na ciência devem comportar-se cientificamente

 

C - Critérios de avaliação das apresentações orais dos trabalhos (de 0 a 200 pontos = 20 valores):

1. Seleção e sistematização da informação (elaboração de tópicos com as ideias fundamentais, apresentadas num suporte escrito, Powerpoint ou outro): 50 Pontos.

2. Explicação e articulação da informação, tendo em conta o guião escrito fornecido pela professora: 60 Pontos.

3. Clareza e rigor da linguagem utilizada: 20 Pontos.

4. Capacidade comunicativa: 20 Pontos.

5. Abordagem reflexiva e crítica do tema (aplicação de algumas das ideias da filosofia da ciência à análise de exemplosou situações, críticas e opiniões): 40 Pontos.

6. Correção das respostas dadas (por cada um dos elementos do grupo) às questões colocadas pela professora (e/ou, eventualmente, pelos colegas): 10 Pontos.

Duração: cada um dos grupos tem, no máximo, 10 minutos para a apresentação oral do trabalho.

Prazos:

- envio do resumo do trabalho em suporte digital (para o mail da professora): 4 de Maio.

- apresentações orais: 28 de Maio - 11º D e 29 de Maio - 11º E.

Bibliografia obrigatória: aquela que é indicada neste post.

Bom trabalho!

A professora: Sara Raposo.

quarta-feira, 9 de Abril de 2014

Direitos ou conquistas?

"Só é digno da liberdade, como da vida, aquele que se empenha em conquistá-la."

Johann Goethe

O título do post envolverá um falso dilema?

uyCIiO0 

Simone Segouin (nome de guerra: Nicole Minet), resistente francesa de 18 anos, durante a libertação de Paris, no dia 19 de Agosto de 1944.

terça-feira, 8 de Abril de 2014

Eis uma generalização pouco arriscada

Generalização

Por muito provável que seja a conclusão de uma generalização, a sua verdade nunca está completamente garantida, pois...

A resposta, ou pelo menos uma parte dela, pode ser lida aqui: Generalizações e previsões.

quinta-feira, 3 de Abril de 2014

Slow Life

Diz-se que “faltam adjetivos para descrever este vídeo” e é verdade.

Mais informações aqui.