quinta-feira, 27 de agosto de 2009

O que acrescentaria aos primeiros posts escritos há um ano atrás

Neste mesmo dia, há um ano atrás, coloquei neste blogue os primeiros posts: dois textos (ver aqui e aqui), o primeiro escrito por um filósofo e o segundo por um jornalista.

Ambos expressam ideias essenciais: a valorização da clareza e do esforço permanente de aproximação à verdade, o conhecimento do passado como o único meio de compreender o presente (e ultrapassar assim o provincianismo de tempo característico da nossa época). 

A quem escolhe orientar-se por estes ideais cabe a difícil tarefa de os procurar – naturalmente sempre de forma imperfeita e incompleta - alcançar.

Assim, passado um ano e após muitos posts, acrescentaria à leitura dos primeiros dois textos já referidos, este outro:

Como toda a gente, só disponho de três meios para avaliar a existência humana: o estudo de nós próprios, o mais difícil e o mais perigoso, mas também o mais fecundo dos métodos; a observação dos homens, que na maior parte dos casos fazem tudo para nos esconder os seus segredos ou para nos convencer que os têm; os livros, com os erros particulares de perspectiva que nascem entre as suas linhas (…). A palavra escrita ensinou-me a escutar a voz humana, assim como as grandes atitudes imóveis das estátuas me ensinaram a apreciar os gestos. Em contrapartida, e posteriormente, a vida fez-me compreender os livros.

Marguerite Yourcenar, Memórias de Adriano, Editora Ulisseia, Lisboa, 1997, pp. 23-24.

 

Marguerite Yourcenar A escritora Marguerite Yourcenar (1903-1987).

2 comentários:

Joao disse...

Nesse caso parabens.

Ja sei que a falácia da tradição se chama argumentum ad antiquitatem. Não é um apelo à autoridade afinal (neste caso seria variante de argumentum ad populum), é um apelo à velhice. Autoridade por antiguidade e não por numeros. Bem, temos de aceitar quando nos enganamos.

Sara Raposo disse...

Obrigada pelos parabéns.

Quando o Carlos conseguir roubar tempo às outras actividades escreverá sobre as falácias.
Cumprimentos.