domingo, 16 de agosto de 2009

7º encontro nacional de professores de Filosofia

7º encontro nacional de professores de filosofia 2009 sobre Filosofia da religião

A organização do encontro é da Sociedade Portuguesa de Filosofia, em colaboração com a Escola Secundária Alves Martins, de Viseu.

Mais informações no Crítica: blog. Pode consultar o programa aqui.

Os temas das conferências, comunicações e workshops dizem respeito à Filosofia da Religião e à Didáctica da Filosofia.

Um dos conferencistas será o filósofo Richard Swinburne, autor do livro Será que Deus Existe?, editado pela Gradiva. No site Filosofia e Educação pode ler um texto desse filósofo (intitulado ‘Argumentos do desígnio’), em que este defende que temos boas razões para admitir que Deus existe. A conferência de Richard Swinburne intitular-se-á ‘God and Morality’.

4 comentários:

Joao disse...

Acho que esse encontro esta um bocado contaminado... Quem pagou a esse senhor para ca vir e quem o convidou? Por que não o Daniel Dannet?

Carlos Pires disse...

Não sei quem convidou - talvez a SPF, que organiza o encontro.

Eu não diria "contaminado", uma vez que o Swinburne é inteligente e procura defender racionalmente as suas ideias. Apesar de discordar completamente dele acho estimulante lê-lo.
Mas seria interessante assistir ao confronto entre ele e o Daniel Dannet!

Joao disse...

"Mas seria interessante assistir ao confronto entre ele e o Daniel Dannet!"

Isso não era estimulante, era um blockbuster de Verão :)

Deixa-me dizer que só conheço o Swinburn através do Dawkins, mas a não ser que esteja mal citado, não é a inteligencia que esta em causa. Apenas um certo enviesamento da lógica, que o Dawkins não perdoa.

Isto sem dizer qeu o Dawkins não faça o mesmo ocasionalmente, notado por todos, até ateus.

Carlos Pires disse...

De facto, o Dawkins nem sempre é um modelo de rigor e imparcialidade. Não conheço as suas obras científicas mas ao falar de religião ele por vezes é um bocado desastrado na argumentação: abusa da falácia do homem de palha e muitas vezes presume aquilo que quer demonstrar.