domingo, 5 de julho de 2009

Quem gosta de ler não regula bem da cabeça!

Há dias observei na praia de Faro um grupo de adolescentes: rapazes e raparigas, todos manifestamente amigos. Depois de umas braçadas, uma das raparigas tirou da mochila um livro e começou a lê-lo. Um dos rapazes disse-lhe admirado: “Ainda a estudar? Pensava que tinhas feito os exames todos na 1ª fase”. A rapariga sorriu e respondeu: “Não estou a estudar. É um romance, olha… chama-se ‘O Fim do Sr. Y’ e é muito interessante!” O rapaz virou-se para os outros e exclamou: “Malta, a Yolanda não está boa da cabeça! Está a ler um livro na praia e ainda por cima está a gostar!”

Nota: não sei se o livro é bom ou mau, pois não o li.

Publiquei um post igual no blogue Aula Aberta.

8 comentários:

Ademar Oliveira de Lima disse...

Estive por aqui em visita ao seu blog! Abraços Ademar!!

Carlos Pires disse...

Obrigado.

Espero que aquilo que leu lhe agrade e lhe possa ser útil. Volte mais vezes.
E, já agora, se tiver tempo, faça comentários mais específicos aos posts (crítycas e sugestões, se for caso disso). Como sabe, o feedback é importante e ajuda a melhorar o desempenho.

cumprimentos

Sininho disse...

Comecei a aprender a gostar de ler quando iniciei o 10º ano. Aquela disciplina de filosofia dava cabo de mim mas foi nesse ano que li Jostein Gaarder como nunca mais. Nesse verão comecei a trabalhar em part-time onde acabei por continuar nos proximos 12 anos e formar-me profissionalmente. Ora como tagarela que sou e já era nessa altura, só falava do livro que estava a ler na altura, já ninguém me aturava. Algum tempo mais tarde já era a minha patroa a falar dos livros que lia e comecei a reparar numa pilha de livros que ía crescendo num cantinho escondido do salão. Um dia mais tarde disse-me que fui eu quem lhe pegou o vicio pela leitura. Senti-me tão orgulhosa, o meu ego não podia estar mais inchado. Hoje já não leio tanto e sei que escrevo mal..., escrevo à minha medida mas podemos ser sempre melhores. Agora que descobri o mundo dos blogues vou lendo pequenas coisas aqui e ali o que também nos enriquece de alguma forma.
[Outra coisa que os manuais de filosofia me despertaram foi o fascinio por Dali, cada quadro tem a capacidade de me transportar para dentro de um sonho(é assim o surrealismo não é).]

parabens pelo blogue e obrigada por transmitir o seu conhecimento ;)

Carlos Pires disse...

Sininho:

Os blogues não substituem os bons livros (nem mesmo o Dúvida Metódica! - :))

Se quiser voltar às leituras filosóficas dê uma olhadela na colecção Filosofia Aberta, de Gradiva. - São excelentes livros e podem ser compreendidos por pessoas que não estudaram filosofia (na Universidade).

Não precisa agradecer. De resto, o meu conhecimento é muito pequeno - insignificante mesmo. Quanto à partilha: eu também ganho com isso! (Mal sabem as pessoas egoístas, que recebem mas não dão, que se estão a prejudicar a si próprias.)

Anónimo disse...

Penso que o fenómeno relatado está presente na maior parte dos adolescentes dos nossos dias. Na minha opinião é grave que tal aconteça pois a leitura é essencial ao desenvolvimento de qualquer indivíduo e podemos desde já perceber que a falta de leitura é um problema da nossa sociedade e que vai crescer exponencialmente nos próximos anos.

Carlos Pires disse...

Caro (ou cara) anónimo:

Não conheço dados acerca dos índices de leitura, mas concordo que esse crescimento exponencial da falta de leitura é provável.

É pena: eles não sabem o que perdem!

Obrigado pelo comentário.

marta disse...

eu adoro ler na praia. o unico problema é o vento e a areia. mas fora isso acho que ler na praia é algo relaxante. e se for um bom livro então ainda melhor.

Carlos Pires disse...

Marta:

na minha impopular opinião, ler é a única coisa que torna a praia suportável.:)

Boas férias!