segunda-feira, 15 de setembro de 2008

A origem histórica da Filosofia


«Vemos a Filosofia como uma forma completamente diferente de pensar, que nasceu aproximadamente nos séculos VII – VI a.C. na Grécia. Antes disso, as diversas religiões tinham respondido a todas as perguntas do homem.
Essas explicações religiosas eram transmitidas de geração em geração por meio dos mitos. Um mito é uma narração sobre os deuses que procura explicar a vida nas suas diversas manifestações. As explicações míticas floresceram durante milénios em todo o mundo (…).
Na Grécia, as divindades chamavam-se Zeus, Apolo, Hércules, Dionísio, Atena, para citar apenas o nome de alguns. Cerca do ano 700 a.C., Homero e Hesíodo escreveram grande parte dos mitos gregos. Este facto criou uma situação completamente nova. Uma vez que os mitos estavam escritos, era possível falar acerca deles.
Os primeiros filósofos gregos criticaram a mitologia homérica. Encontramos um exemplo desta crítica no filósofo Xenófanes (570 a.C.). Segundo ele os homens tinham criado os deuses à sua própria imagem.
Nesta época, os Gregos fundaram muitas cidades-estado na Grécia e nas suas colónias da Itália meridional e da Ásia Menor. Aí, os escravos executavam todo o trabalho físico, e os cidadãos livres podiam dedicar-se à política e à cultura. Com estas condições de vida, a maneira de pensar dos homens mudou: cada indivíduo podia colocar a questão de como a sociedade devia ser organizada. Do mesmo modo, podia também colocar perguntas filosóficas, sem ter de recorrer aos mitos tradicionais.
Dizemos que se deu o desenvolvimento de um modo de pensar mítico para um género de reflexão baseada na experiência e na razão. O objectivo dos primeiros filósofos gregos era encontrar explicações naturais para os fenómenos da natureza. Desejavam compreender os fenómenos da natureza sem recorrer aos mitos tradicionais. Acima de tudo, procuravam compreender a natureza através da sua observação.
Isso é completamente diferente da explicação do relâmpago e do trovão, do Inverno e da Primavera, por meio da referência aos acontecimentos no mundo dos deuses. Desta forma, a filosofia libertou-se da religião. Podemos afirmar que os filósofos da natureza deram os primeiros passos em direcção a um modo de pensar científico. Assim, abriram caminho a toda a posterior ciência da natureza.
Quase tudo o que os filósofos da natureza disseram e escreveram perdeu-se para a posterioridade. O pouco que sabemos encontramo-lo nos escritos de Aristóteles, que viveu duzentos anos depois deles.»


Jostein Gaarder, O Mundo de Sofia, Ed. Presença.

4 comentários:

Maria Luz disse...

Seu texto está muito bom, realmente pode me ajudar bastante em minhas pesquisas.Muito obrigada!!

Anónimo disse...

gostei muito obrigado, irá me ajudar muito pelo resto do ano nas provas hehehe

carlos mendes disse...

muito bom a sua explicaçao pela qual me ajudou muito nos estudos.obrigado

carlos mendes disse...

optimo, excelente. Acho que me ajudou bastante para o meu estudo em filosofia. Muito obrigado