domingo, 25 de abril de 2010

Salgueiro Maia e Sócrates

salgueiro-maia 25 de Abril
Salgueiro Maia

Aquele que na hora da vitória
respeitou o vencido

Aquele que deu tudo e não pediu a paga

Aquele que na hora da ganância
Perdeu o apetite

Aquele que amou os outros e por isso
Não colaborou com a sua ignorância ou vício

Aquele que foi «Fiel à palavra dada à ideia tida»
como antes dele mas também por ele
Pessoa disse

Sophia de Mello Breyner Andresen, Musa, 3ª edição, Editorial Caminho, Lisboa, 1994, pág. 17.

“Aquele que amou os outros e por isso / Não colaborou com a sua ignorância ou vício”… Estas palavras de Sophia de Mello Breyner Andresen acerca de Salgueiro Maia, um dos protagonistas do 25 de Abril, aplicar-se-iam igualmente bem ao filósofo grego Sócrates e a qualquer outra pessoa interessada na verdade e no conhecimento – filósofos, cientistas, artistas, etc.

Dizê-lo não diminui a grandeza de Salgueiro Maia. Antes pelo contrário. Com efeito, se Salgueiro Maia é - em Portugal - um símbolo da conquista da democracia e da liberdade política, Sócrates é um símbolo universal do pensamento crítico e da liberdade de pensamento.  

Outra semelhança entre ambos, embora muito menos importante, é o facto de o reconhecimento do seu valor ter sido principalmente póstumo. Sócrates morreu vítima de uma acusação falsa e de um julgamento injusto. Salgueiro Maia morreu quase na miséria e sem as honras que os seus feitos justificavam.

A democracia é um regime político imperfeito e incapaz de impedir totalmente a ocorrência de injustiças. Por exemplo: quando Sócrates foi condenado à morte e executado existia um regime democrático em Atenas; Salgueiro  Maia contribuiu para a implementação da democracia em Portugal e essa mesma democracia ignorou-o e não reconheceu o seu valor. Mesmo assim, as injustiças numa democracia são muito menos frequentes do que noutros regimes políticos. Acresce que numa democracia existem mecanismos para corrigir as injustiças que não existem noutros regimes políticos. Por isso, vale a pena celebrar o 25 de Abril.

11 comentários:

JOSÉ RIBEIRO MARTO disse...

Passei , meu caro amigo ...
Por Abril e pela liberdade, pela generosidade de um homem , na voz de uma poeta !
Um abraço ______ JRMarto

Carlos Pires disse...

Obrigado José.

HERODOTO disse...

Salgueiro Maia, assim como outros «capitães de Abril», embora poucos, está nos antípodas, pelo seu desprendimento, humildade e algum romantismo, dos «políticos» que conspurcaram os ideais de ABRIL.
Contudo, o seu nome, até pela sua passagem fulgurante pela vida, penso que foi aproveitada por alguns sectores políticos da actualidade, esquecendo outros.
Exalta-se um SM, e exalta-se uma figura sinistra chamada António de Spínola!
Salgueiro Mais e Sócrates - o FILÓSOFO GREGO - eis um excente exercício, mas evitando os anacronismos!

Ana disse...

Obrigada pelo registo de um dia tão marcante para o povo português. Gosto muito da poesai de Sophia de Mello Breyner.

Bimbosfera disse...

Boas! Vim cá ter pelo Caderno, sinceramente nem sei bem como me liguei ao outro, mas o certo é que vim cá dar. Bom, lá mencionei que achei curiosa a ligação entre os dois, e cá encontrei a resposta.
Sem dúvida também que não há, que eu conheça, sistemas sociais perfeitos. Porventura poderemos não ser sempre justos, mas poderá ser por este caminho que se lá chegue.
Da minha parte um grande obrigado a ele e aos outros Capitães de Abril, por me possibilitarem a liberdade de estar aqui hoje a escrever, mesmo eu não sendo sequer nascido na altura. O meu pai lutava pela sua vida em África, eles lutavam cá por todas as nossas vidas.
Bom... Parabéns 25 de Abril!

Abraço

Márcio Guerra, aliás, Bimbosfera

http://Bimbosfera.blogspot.com

Carlos Pires disse...

Heródoto:

Não sei o suficiente de História para avaliar a figura de Spínola.

Quanto aos ideais de Abril: havia vários que é importante defender, mas havia outros que ainda bem foram rejeitados (não diria conspurcados). Por isso, quando se comemora o 25 de Abril nunca se devia esquecer o 25 de Novembro - pois sem este a ditadura do Estado Novo teria sido substituída por uma ditadura comunista. Seja como for, é verdade é que há por aí alguns políticos que... só entre aspas.

cumprimentos

Carlos Pires disse...

Ana:

Obrigado pelo seu comentário.
Também gosto dos poemas de Sophia de Mello BreYner Andresen.

Carlos Pires disse...

Márcio:

Relativamente a Sócrates, encontra aqui no DM vários posts sobre ele.

Quanto à democracia: Conhece a frase de Churchill que diz "a democracia é o pior sistema político, com excepção de todos os outros"?

No blogue Questões Básicas encontra um texto interessante sobre o 25 de Abril: defende que este estabeleceu as condições necessárias, mas não suficientes, para uma sociedade justa.
Mas será possível estabelecer essas condições suficientes?

Obrigado pelo seu comentário. espero que encontre outros motivos de interesse no DM.

Bimbosfera disse...

Olá de novo. Obrigado pela resposta. Sendo que a minha área não é esta, sou designer, apesar de fazer a minha perninha num blog de «bola», humorístico, tenho noção que os meus gostos e interesses ultrapassam um bocado só o design, ou só a bola, ou só o poker, que também jogo, ou só a tipografia, que também abordo noutros blogs.
O 25 de Abril permitiu-me a mim, e a outros, mesmo que ainda não fosse nascido nessa data, a Liberdade que exerço agora. Mesmo sem ler o seu texto que me dá, o que agradeço, e que lerei depois, amanhã, ou assim, sei que tenho muito que valorizar por tê-la. Quanto à frase, por acaso já conhecia, apesar de não ser das que uso no dia-a-dia, mas também, sinceramente, não andamos a citar Churchil todos os dias. Essa, por acaso, já tinha ouvido, por acaso...
O nosso sistema não é, de todo, o mais fiável. Sei que o 25 de Abril este ano passou-me muito ao lado, foi um dia entre 24 e 26, nada de especial, e provavelmente a culpa é minha. Quanto à história que podia ter sido, bom, eu sou de esquerda, não muito justificada, sem grandes certezas do porquê, provavelmente defendo também conceitos de direita, sinto que sou equilibrado o suficiente para achar que não deve haver pobres, sem comer, sem rendimentos decentes para não estarem no limiar da pobreza e depois de terem trabalhado a vida toda, sei também que com o rumo que se vê o estado a levar todos os dias devo ter planos de apoio, PPRs, etc, coisas «de direita», para me assegurarem, para não contar com o que a «esquerda actual» me dá. Provavelmente não é sequer o sítio ou o post para falar disso, mas também vi coisas boas do regime de esquerda que proclamam, como claramente vi coisas más. Como em tudo, os extremos, geralmente, não são boas escolhas, ou fazer escolhas extremistas é capaz de não ser boa ideia, seja extrema-direita ou extrema-esquerda.
Não tenho argumentos suficientes para estar a defender Cuba, ou outros países europeus, sem dúvida que não vou defender a China, apesar de já não ser nada do que apregoam ser, e ser mais capitalista do que outra coisa, mas sei que há coisas boas.
Se calhar já me desviei um bocado do tema. Vou tentar ler o texto, o qual agradeço, e então se calhar comentar lá alguma coisa, ou até por aqui, quem sabe, se se relacionar com isto.

Obrigado e um abraço

Márcio Guerra, aliás, Bimbosfera

http://Bimbosfera.blogspot.com

Anónimo disse...

en honrra Salgueiro Maia.-www.a25abril.org, espero vos goste

relogio.de.corda disse...

Para os meus alunos (de 9/10 ANOS), que ontem viram partes do filme "Capitães de Abril", o capitão Salgueiro Maia já É um herói.