terça-feira, 1 de junho de 2010

Dia da Criança: a vida vale a pena

puxar o barco

Os meus filhos não gostam especialmente de poesia, mas não consigo lembrar-me de palavras mais belas e valiosas (estou a evitar a palavra “verdadeiras”, pois a relação entre a arte e verdade encerra problemas que não sei explicar) para lhes oferecer no Dia da Criança que estas de Ferreira Gullar, ontem galardoado com o Prémio Camões. A fotografia, cujo autor desconheço, parece-me uma boa ilustração da ideia principal do poema. Vamos ver se consigo explicar-lhes a ideia, ainda que eles não queiram ler ou ouvir o poema.

DOIS E DOIS: QUATRO

Como dois e dois são quatro
Sei que a vida vale a pena
Embora o pão seja caro
E a liberdade pequena
Como teus olhos são claros
E a tua pele, morena
como é azul o oceano
E a lagoa, serena

Como um tempo de alegria
Por trás do terror me acena
E a noite carrega o dia
No seu colo de açucena

- sei que dois e dois são quatro
sei que a vida vale a pena
mesmo que o pão seja caro
e a liberdade pequena.

Ferreira Gullar, Toda a Poesia, 7ª edição, José Olympio Editor, 1999.

3 comentários:

helena disse...

Esta a derradeira mensagem que temos que passar às crianças: a vida vale a pena.

Ro Xo disse...

Li esse poema lindooo!!!Quando tinha 13 anos, e o achei tão bonito que eu decorei na época e ele não saiu da minha cabeça até hoje com 21 anos. Ele é lindo !!!! E fiquei muito feliz de ler esse post!!!
Obrigadaa
Mari

Carlos Pires disse...

helena e RoXo:

obrigado.