quarta-feira, 10 de julho de 2013

Exame nacional de Filosofia: parabéns aos alunos da ESPR!

Os alunos internos da Escola Secundária de Pinheiro e Rosa (29 no total: 20  do Carlos Pires - maioritariamente da única turma de humanidades – e 9 da Sara, de uma turma de ciências) obtiveram no exame nacional a média de 12.33 (a nota mais elevada foi de 18,9).

É claro que poderia ser ainda melhor, mas na escola foi a disciplina com melhores classificações nos exames nacionais. Os alunos estão por isso de parabéns!

8 comentários:

Desidério Murcho disse...

E também os professores estão de parabéns!

Anónimo disse...

onde poderemos ter acesso aos resultados?

obrigada.

isabel

Sara Raposo disse...


Desidério,

Obrigada! Julgo que também tu estás de parabéns, pois o nosso trabalho com os alunos neste blogue não seria como é sem o contributo, efectivo, que tu (e outras pessoas como o Aires de Almeida, entre outros) tens dado à divulgação de livros e materiais didáticos filosoficamente rigorosos e estimulantes para os alunos.

Sara Raposo disse...

Isabel,
Os resultados que os alunos obtiveram nos exames são, naturalmente, afixados nas escolas. Posteriormente, sairão em jornais as médias obtidas nos exames nas várias disciplinas e a média nacional de cada uma delas.

Aires Almeida disse...

Parabéns Carlos e Sara, pelo excelente trabalho. Felizmente, não é surpresa para mim.

Luis Mendes disse...

Isabel, se se refere aos resultados nacionais, eles estão aqui

http://www.portugal.gov.pt/media/1136748/20130710%20mec%20enes%20resultados.pdf

Anónimo disse...

Parabéns aos dois excelentes professores que para além de todo o trabalho desenvolvido ao longo do ano, ainda estão disponíveis a nível particular para ajudarem os alunos na revisão das provas e esclarecimento de dúvidas para a segunda chamada.Chamo a isto "amor" aos alunos, "amor" à profissão. Um exemplo para todos nós.
Isabel

F. Pinheiro disse...

Olá!
Parabéns pelos resultados. No futuro, seria desejável que o exame passasse a ser obrigatório, pelo menos nas turmas de humanidades. Tal como está, o exame não faz grande sentido, tem um estatuto menor no contexto das diferentes disciplinas.
Cumprimentos

F. Pinheiro