sábado, 30 de agosto de 2008

Como distinguir o que é arte do que não é arte?


A fotografia representa o pianista Pedro Burmester interpretando a peça "4´33" de John Cage, que consiste em quatro minutos e trinta e três segundos de silêncio. Ou seja: o pianista senta-se ao piano e durante esse tempo fica imóvel, sem tocar uma única nota. No final desse tempo levanta-se e agradece ao público.
"4´33" será uma obra de arte?

7 comentários:

Joana Afonso disse...

4’33’’ será uma obra de arte? Para tentar dar uma explicação tentei definir a palavra arte. Dado que a palavra arte é para mim uma das palavras que eu sei associar a algo concreto, mas sou incapaz de dizer a definição abstracta, fui à procura da sua definição. Ao que parece a sua definição gera controvérsia sendo mais um dos problemas em que os filósofos não estão de acordo. Existem, assim, várias teorias filosóficas para tentar achar uma opinião unânime.

A primeira que surgiu formula-se da seguinte forma:
Uma obra é arte se, e só se, é produzido pelo homem e imita algo.
Esta tese trás alguns problemas como o facto da maior parte daquilo que intrinsecamente se considera arte não ser, nem em parte, representação da realidade. Quase todos os exemplos de música são exemplos da objecção anteriormente apresentada. Neste caso, da obra de Cage, uma das preposições simples da conjunção é verdadeira (Uma obra é produzida pelo homem). No entanto a outra preposição que diz que a obra imita algo, neste caso, é muito subjectiva. Talvez imite o silêncio e com este silêncio faça o publico ouvir o ruído desagradável que faz. Sendo assim segundo esta tese a peça pode ou não ser arte, dependendo da perspectiva.

Outra tese sobre o assunto é:
Uma obra é arte se, e só se, exprime sentimentos e emoções do artista.
Mais uma vez esta tese também traz problemas como o facto de não nos ser possível saber se a obra exprime ou não sentimentos do artista. Pelo que eu penso, Cage teria com certeza um sentimento inerente à obra talvez como a importância e a necessidade do silêncio. Deste ponto de vista a peça é uma obra de arte, considerando que Cage pretende exprimir algum sentimento com isto.

A tese mais recente diz que:
Uma obra é arte se, e só se, provoca nas pessoas emoções estéticas.
A ideia de emoção estética, segundo pesquisei, é uma característica inerente a todas as obras de arte. O autor da teoria não consegue clarificar de um modo plausível esta ideia, sendo esta a sua principal objecção. Segundo esta tese considero 4’33’’ uma obra de arte já que ninguém ficou indiferente à peça. O público ficou chocado, fascinado ou até mesmo irritado.

A minha opinião é que 4’33’’ é um golpe de génio e claramente uma obra de arte. Não no tipo de arte clássica mas pelo efeito que causa. (Dito isto verifica-se que a tese com que mais me identifiquei foi a ultima). A música também é composta por silêncio. Se tocássemos seguidamente notas dó consideraríamos a peça arte. Não sei se boa arte, mas seria arte. O silêncio é uma nota como outra qualquer, logo para mim também é arte. E é arte inteligente.

Joana Afonso 11ºD

Carlos Pires disse...

Gostei do que a Joana escreveu, com 2 excepções: escreve-se "prOposição"; referiu que fez uma pesquisa (e é óbvio que fez), mas não indicou os livros ou sites que consultou.
TPC: formalizar a proposição "Uma obra é arte se, e só se, é produzido pelo homem e imita algo".

Joana Afonso disse...

A pedido do professor vim registar a bibliografia consultada para a realização do meu comentário

http://criticanarede.com/fil_tresteoriasdaarte.html

Consultei também o livro do 10ºano de filosofia

Rui Barqueiro disse...

Eu acho que isto é arte, tal como acho que é arte a minha escultura de um unicórnio que está no mar da tranquilidade, na face visível da Lua. Não sei se já repararam? Tem recebido excelentes críticas.

Fiz o download desta obra de arte para poder ouvir no carro e noto que conduzo muito mais relaxado. Acho que era o objectivo do extraordinário compositor.

Espero não ser processado pelos cruzados dos direitos de autor.

Deixarei outro exemplo de uma obra de arte minha no próximo comentário.

Rui Barqueiro disse...

.

Carlos Pires disse...

Rui:

A obra de arte que deixaste como exemplo é um primor estético.

É da tua autoria? Tens muito talento!
Fui agora contactado pelo dono de uma galeria de arte que a quer expor.
tomei a liberdade de lhe dar o teu nº de TM.

Rui Barqueiro disse...

Ainda bem que gostaste. Não vale o incómodo. O meu agente já tratou disso. Eu só crio. Sou um grande artista e tenho a modéstia dos grandes artistas.

Para quem quiser saber, chama-se Universo (sim, sei que é óbvio, não valia a pena dizer). Brevemente estará exposta no Museu Berardo junto a outras obras de arte de quase igual gabarito.

Escrever-se-ão páginas sobre ela, as tentativas para interpretar o que o artista queria dizer serão mais que muitas e muitos críticos ganahrão a vidinha à custa da minha obra de arte.

Sei que um dia será mais comum cruzar-me com uma t-shirt com o meu Universo do que com uma t-shirt com o Che.

Tenho que ir criar mais qualquer coisinha.

P.S. - Um olho mais treinado, por certo reparou no texto que escrevi entre as palavras que escrevi. Nada de copiar pois tem direitos de autor.
Sou mesmo um grande artista.