domingo, 20 de outubro de 2013

Os bobos da corte

FESTA ALEGÓRICA

O bobo do imperador Maximiliano
organizou uma festa alegórica
que o povo e a corte de soberano à frente
saborearam em grandes gargalhadas:
juntou na praça todo o cego pobre,
prendeu a um poste um porco muito gordo,
e anunciou ganhar o dito porco aquele
que à paulada o matasse. Os cegos todos
a varapau se esmocaram uns aos outros,
sem acertar no porco por serem cegos,
mas uns nos outros por humanos serem.
A festa acabou numa sangueira total:
porém havia muito tempo que o imperador
e a corte e o povo não se riam tanto.
O bobo, esse tinha por dever bem pago
o fabricar as piadas para fazer rir.

Jorge de Sena, 40 Anos de Servidão. 

O Bobo da Corte Sebastián de Morra de Velásquez

“O Bobo da Corte Sebastián de Morra”, de Velásquez.

4 comentários:

Simplesmente Sônia Maria disse...

Muito bom,o mundo con tinua cheio de lideres similares ao da história. Sonia maria Goes

Luis Neves disse...

Brutal este Poema do Jorge de Sena ...
Luis

Luis Neves disse...

Um Poema Brutal ....
:)
Luis

perez brandao Henrique disse...

É o que se passa neste mundo. Onde todos somos cegos, geridos por bobos(governos e políticos)), para gáudio da grande finança e economia (bancos, etc).