sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Indicações para o trabalho sobre falácias informais - turmas B, D, E e F do 11º

O trabalho é individual.

O trabalho consiste na análise de um anúncio publicitário ou discurso político. Nessa análise o aluno deve:

- Descrever aspectos relevantes desse anúncio ou discurso.

- Identificar as falácias informais presentes nesse anúncio ou discurso.

- Explicar em que consistem essas falácias.

- Mostrar porque é que essas falácias ocorrem nesse anúncio ou discurso.

- Discutir se esse anúncio publicitário ou discurso político seria persuasivo sem essas falácias.

Nota 1: Utilizei apenas o plural (“falácias informais”) por facilidade de expressão. No entanto, isso não significa que o aluno não possa escolher anúncios publicitários ou discursos políticos onde ocorra apenas uma falácia informal.

Nota 2: O aluno tem obrigação de identificar todas as falácias informais estudadas que ocorram no anúncio ou discurso escolhido. Caso também ocorram falácias informais não estudadas o aluno não será penalizado se não as identificar (mas se as identificar isso será valorizado).

O anúncio publicitário ou discurso político não pode ser inventado pelo aluno. Pode ser apresentado em papel, vídeo ou áudio. O aluno deve sempre apresentar o trabalho escrito em papel, mesmo que apresente o anúncio publicitário ou discurso político em vídeo ou áudio.

Critérios de avaliação:

- Correcta identificação das falácias.

- Explicitação dos conceitos filosóficos utilizados.

- Rigor conceptual.

- Estruturação do texto.

- Clareza do texto.

- Correcção linguística.

- Capacidade crítica.

- Aspectos formais (bibliografia, etc.)

O trabalho será avaliado no âmbito das Fichas e Trabalhos e terá peso 2.

Não será solicitado a todos os alunos que apresentem oralmente o trabalho. Essa apresentação será apenas pedida a alguns alunos em cada turma: os 2 ou 3 melhores e alunos cujo trabalho possa eventualmente suscitar dúvidas quanto à autoria.

Bibliografia sugerida:

- O Manual de Filosofia adoptado na escola: A Arte de Pensar – 11º Ano.

- Dicionário Escolar de Filosofia: http://www.defnarede.com/

- Guia das falácias de Stephen Downes: http://criticanarede.com/falacias.htm

Data de entrega: primeira aula da segunda semana do segundo período.

Bom Trabalho!

17 comentários:

Anónimo disse...

Olá professor. Tenho uma dúvida no que diz respeito á falácia do apelo ao povo.

"Esta falácia caracteriza-se pelo apelo às emoções de um grupo ou à suposta sabedoria partilhada por todos (povo). Em regra, este apelo a emoções ou saberes comuns apela a motivos e não a razões. Exemplo: "Todas as pessoas sensatas rejeitam X. Logo, deves rejeitar X". Neste caso, espera-se que o desejo de ser incluído na classe das pessoas sensatas leve o auditório a aprovar a conclusão." JS

Consigo perceber que se trata de uma falácia que diz que a maioria está sempre certa, ou seja, que se muitas pessoas escolhem Marca X, eu também devo escolher a Marca X,mas fiquei com a ideia que o apelo ao povo era também um apelo a certo estilo de vida. Imaginemos um anúncio que mostra pessoas anónimas em carros de alta cilindrada, com um estilo de vida luxuoso. Seguidamente aparece algo como Marca Y-Bons Momentos. Não seria isso também um apelo ao povo, ou sou eu que estou a confundir as coisas?
Eurico Graça

Carlos Pires disse...

Seria um apelo ao povo.
Podemos tentar convencer as pessoas a adoptar um certo estilo de vida recorrendo a essa falácia (Toda a gente gosta de touradas.Por isso...).
Por outro lado, se acharmos que o desejo de ter um certo estilo de vida é algo bastante generalizado podemos tentar convencer as pessoas acerca de qualquer coisa Y associando-a a esse estilo de vida X (quem usa Y é X. Por isso...).
Boas férias Eurico.

Anónimo disse...

Obrigado professor.
Boas férias para si também.
Eurico Graça

Anónimo disse...

Olá professor.
Tenho uma dúvida relativamente às indicações que o professor deu, na parte dos critérios de avaliação: dos aspectos formais fazem parte a bibliografia, a introdução, o índice e a conclusão?
Ana Santos,11ºE

Carlos Pires disse...

Ana:

A dimensão do trabalho não justifica uma introdução e uma conclusão. Se não soubesse que no 12º voltarão a ter Área de Projecto eu aconselharia até os alunos a esquecerem esse redutor "esquema".
Quanto ao índice: pode justificar-se, mas depende do modo como organizarem o texto.
Os aspectos formais que me interessam são coisas substanciais:
Bibliografia, identificação clara das citações - caso haja citações, identificação clara da origem do anúncio ou discurso escolhido, etc.

Bom trabalho, mas principalmente boas férias!

Anónimo disse...

Obrigada pelo esclarecimento professor.
Obrigada e igualmente boas férias para si.
Ana Santos

Anónimo disse...

Olá professor como está?

professor tenho uma duvida quanto ao trabalho!
...
eu gostaria de saber se o trabalho escrito pode ser elaborado através de computador ou se terá de ser escrito á mão..(peço desculpa quanto á pergunta é que alguns professores preferem que o trabalho seja feito á mão e é para evitar que haja confusão) =/ ..

muito obrigado, mais uma vez desculpe!

Jacinta

Carlos Pires disse...

Boa noite Jacinta.

1. Não é preciso pedir desculpa.

2. Claro que pode escrever o trabalho no computador.

Bom fim de semana e bom trabalho.

Miguel Ponte disse...

Olá professor.
Eu tenho dificuldade em fazer o download do video que pretendo apresentar, e não o consegui até agora, mesmo com vários programas. Será possivel eu colocar o link no trabalho ou passar-lhe a hiperligação e depois o professor vê em casa o video?
Obrigado desde já.

Carlos Pires disse...

Boa noite Miguel.

Isto contraria um pouco o que disse na aula, mas vamos fazer o seguinte:
Mande o link por mail (está no início do blogue) hoje ou amanhã de manhã (domingo) com uma descrição breve do conteúdo. Depois de ver o vídeo eu mando-lhe um mail a confirmar... Boa noite.

Anónimo disse...

Peço desculpa professor. Eu estava a complicar as coisas. Obrigado
Eurico Graça

Anónimo disse...

Olá professor!

tenho estado a verificar os apontamentos que retirei das aulas perdidas e segui o conselho do professor em ir ao DEF para me exclarecer melhor quanto ás falácias e surgiu uma pequena dúvida, é o seguinte:

_na falácia do apelo ao povo o objectivo é que o auditório aceite/aprove a conclusão, por exemplo: um anúncio que é apresentado por uma figura pública muito conhecida ligada á área do desporto em que vai falar e aconselhar sobre um banco e depois diga 'adira já' para além de ser um apelo á autoridade não qualificada, não será também um apelo ao povo?? pois como essa figura é muito apreciada por o publico e como essa pessoa diz que é bom pertencer aquele banco, entao estará a convencer o auditório que ele tb devia pertencer ao banco com um 'adira já'.
a minha pergunta é: é possivel neste caso haver tb um apelo ao povo, ainda que não seja a palavra de uma maioria, e sim a palavra de uma figura pública que toda a gente aprecia e gostaria de ser igual a ela?

Muito obrigado professor!
Jacinta*

Carlos Pires disse...

Boa tarde Jacinta.

São muito frequentes os anúncios em que essas 2 falácias ocorrem simultaneamente.
No caso que descreveu haverá também o apelo ao povo se se disser (ou insinuar) que a maioria das pessoas pensa desse modo, ou se o anúncio associar a posse do produto publicitado a emoções consideradas comuns.
Veja a esse respeito o 1º o 2º comentários a este post.

Tatiana Nogueira disse...

Olá professor. Queria colocar-lhe uma questão, eu não consigo fazer o download do video que pretendo, o video consiste num discurso politico, seria possível eu escrever o que é mais notório no discurso e depois analisar o " excerto" do mesmo?

Tatiana Nogueira

Carlos Pires disse...

Boa noite Tatiana:

vamos fazer o seguinte:
Mande o link por mail (está no início do blogue) o mais cedo possível com uma descrição breve do conteúdo. Avance com o trabalho. Depois de ver o vídeo eu mando-lhe um mail a confirmar... Boa noite.

Anónimo disse...

Ola!
Qual a diferença entre razões e motivos, no que diz respeito à falácia do apelo ao povo, quando esta apela a emoções?
Obrigada

Carlos Pires disse...

Caro anónimo:
não levaria muito tempo a esclarecer a questão da diferença entre motivos e razões, mas no DM não gostamos de incentivar os comentários anónimos. Por isso...